Blog do Galeno Observatório do Livro e da Leitura

20 de setembro de 2018

Nada muda no Jabuti de 2018

PUBLISHNEWS, REDAÇÃO, 19/06/2018

Na sexta passada, quando Luiz Armando Bagolin renunciou ao cargo de curador do Prêmio Jabuti, a Câmara Brasileira do Livro (CBL) emitiu uma nota em que lamentava a decisão do curador e dizia que continuaria com o trabalho realizado por acreditar que as mudanças propostas ajudarão a tornar o prêmio mais moderno e relevante. Na tarde desta segunda-feira, a entidade que realiza o Jabuti distribuiu uma carta endereçada a “escritores, ilustradores, especialistas, promotores, mediadores de leitura e designers da Literatura Infantil e Juvenil” reafirmando que, para a 60ª edição do Prêmio, nada muda. “Após cuidadosa análise junto aos conselheiros, auditores externos contratados e ao departamento jurídico da CBL, avaliamos a possibilidade de implementar as modificações sugeridas ainda este ano, o que se mostrou tecnicamente inviável”, diz a carta. O documento assinado por Luis Antônio Torelli, presidente da CBL, diz ainda que todas as propostas apresentadas serão consideradas para o regulamento do prêmio do ano que vem. 

Confira abaixo a íntegra da carta. 

São Paulo, 18 de junho de 2018.

Caros senhores escritores, ilustradores, especialistas, articuladores, promotores, mediadores de leitura e designers da Literatura Infantil e Juvenil

Ao longo de 60 anos, o Prêmio Jabuti esteve sempre conectado com o mercado, o público e os criadores, atento a críticas e sugestões e se adequando às mudanças dos tempos. Acreditamos que todo processo de mudança, como o que vivemos agora, gera bem-vindos debates. Por esta razão agradecemos desde já as contribuições feitas com o objetivo de aprimorar o novo formato do Prêmio Jabuti.

No encontro com a Comissão indicada por vocês, nos comprometemos a convocar o Conselho Curador para avaliar as sugestões apresentadas. No entanto, após a reunião do Conselho Curador, teve início uma polêmica na internet que acabou por extrapolar as questões do Prêmio e atropelar nosso processo de diálogo que agora retomamos.

Após cuidadosa análise junto aos conselheiros, auditores externos contratados e ao departamento jurídico da CBL, avaliamos a possibilidade de implementar as modificações sugeridas ainda este ano, o que se mostrou tecnicamente inviável.

O atual formato do Prêmio Jabuti é resultado de um trabalho iniciado há mais de um ano. Para que o processo possa se realizar com segurança e transparência inerente à premiação, foi construída uma plataforma digital - já homologada pela auditoria independente - onde se dão os processos de inscrição, leitura dos inscritos, votação e apuração. Diante do exposto, o Prêmio Jabuti 2018 seguirá conforme foi idealizado, preservando a integridade do sistema operacional e, principalmente, em respeito às obras já inscritas mediante o aceite dos participantes ao regulamento anunciado em 15 de maio de 2018.

Gostaríamos de destacar que, embora constatada a impossibilidade de implementação de sugestões para esta edição, todas as propostas apresentadas serão consideradas no momento do desenho do regulamento de 2019. Lembrando ainda que, assim como nesta edição, a futura curadoria terá liberdade para ouvir o mercado e, junto com o Conselho Curador, propor os aprimoramentos ao Prêmio.

Concluímos que entendemos a importância das sugestões apresentadas e reforçamos que continuamos abertos para ouvir e discutir sugestões que aperfeiçoam e lapidam o Prêmio Jabuti, tão querido e respeitado pelo mercado editorial e por toda sociedade brasileira.

Cordialmente, Luís Antonio Torelli - Presidente da Câmara Brasileira do Livro.

Mais Prêmios para quem faz

Todas as notícias sobre "Prêmios para quem faz"

Receba por e-mail


Cadastre-se!

Livrômetro

Relógio da leitura no Brasil

565.920.000

Livros lidos em 262 dias de 2018 no país

Publicidade