Blog do Galeno Observatório do Livro e da Leitura

17 de agosto de 2018

Resgate da literatura e boemia

Ana Cláudia Guimarães

Inspirado nos tempos do Café Paris, reduto boêmio que reunia poetas, jornalistas e intelectuais em frente às barcas nas primeiras décadas do século passado, um movimento de incentivo à literatura será lançado pela editora Nitpress e pelo restaurante Vila de Melgaço, que fica na praça de alimentação do Niterói Shopping. Batizado de Vila das Letras, o evento, que acontecerá todas as terças-feiras, começa na próxima, Dia dos Namorados. Harmonizando com a data, os haicais eróticos do saudoso poeta Luís Antônio Pimentel foram escolhidos para inaugurar a série.

Além de disponibilizar uma estante com livros de diversos autores que estarão à disposição dos frequentadores do restaurante português, à mesa, a poesia se fará presente nas asas das xícaras de café e nos pés das taças de vinho através de etiquetas literárias, produzidas em fina tipografia com versos de autores conhecidos. “Lê alto os meus versos / eles são minha ternura / beijando teus lábios” é um haicai de Pimentel que faz parte do lançamento.

A escolha do local não foi por acaso. O editor da Nitpress, Luiz Erthal, lembra que o dono do Vila do Melgaço, Mário Guerreiro, esteve à frente por anos do restaurante Bela Blu, que funcionava na Rua da Conceição e abrigava um reunião de intelectuais da década de 1980 até 1998, coordenada pelo professor Roberto Santos:

— Niterói tem uma grande tradição literária. O Pimentel costumava dizer que o Café Paris foi o big ben do movimento literário na cidade. Depois esse movimento passou a acontecer na Livraria Ideal, de Carlos Mônaco, fundada por seu pai e, mais à frente, no Bela Blu. O Mário tem tradição em apoiar a literatura na cidade — lembra Erthal

Entusiasta da literatura, Mário lembra com saudades das rodas do Bela Blu e espera que esse movimento seja retomado agora:

— O que acontecia naquela época era muito interessante, pois os poetas não iam lá fabricar poesias, era algo espontâneo.

Editora Nitpress e o restaurante Vila do Melgaço lançam o projeto Vila das Letras.

Grota-Berklee

A violoncelista niteroiense Kely Pinheiro, de 20 anos, moradora da comunidade da Grota, foi selecionada para estudar com bolsa integral na Universidade de Berklee, uma das maiores escolas de música dos EUA. Só que... para conseguir o visto de estudante, ela precisa ter US$ 23 mil em conta por ano. Para isso, a jovem decidiu fazer uma vaquinha on-line.

E olha que legal...

A musicista vai se apresentar no nosso Teatro Municipal, cuja renda será toda revertida para a causa. O show será no dia 25 de julho, às 19h. Eu apoio!

Cidade do cinema

De portas fechadas por falta de patrocínio, o Ponto Cine Guadalupe, primeira sala de cinema digital do Brasil e referência de audiovisual de periferia, pode atravessar a Baía de Guanabara. É que a Secretaria de Cultura e a FAN querem trazê-lo para cá.

Fecha...

As lindas lojas Empório Mix e Câmera 1, da Rua Mem de Sá, vão fechar as portas em 60 dias. Os imóveis dos irmãos Moreth foram alugados. Uma empresa montará ali uma clínica de saúde e bem-estar.

E abre

A Empório Mix e o estúdio de fotos de Renato Moreth passarão a funcionar em um outro imóvel da família, na mesma rua, em um espaço de crowdworking chamado Área 51.

Superação

Um grupo de mulheres mastectomizadas e praticantes de canoa havaiana participará de encontro, hoje, na Casa de Pedra, em Piratininga. Tema: como o esporte ajuda na superação do câncer.

Menos acidentes

Os radares fixos da Ponte Rio-Niterói reduziram em quase 50% o número de acidentes na rodovia. Em dezembro, último mês sem multas da PRF com os radares fixos, a Ecoponte registrou cem acidentes. No mês passado, foram 53.

Paella espanhola

A D.A. Gastronomia participa, amanhã, do Essential Day, encontro do mercado de casamentos. O menu será inspirado na cultura de Barcelona, com preparação ao vivo de uma paella espanhola.

Dia dos Namorados

O Bistrô Violette, da Premier Wine (ex-Grand Cru), em Icaraí, oferece, dia 12, um menu especial. A começar pela entrada, uma tosta de brie com damasco ou de queijo de cabra com pera. O vinho pode ser comprado na loja do bistrô. Custa R$ 300 (casal).

Fotografia urbana

A fotógrafa e craque América Cupello flagrou esse lindo pensamento na poltrona do ônibus 53. Nesses tempos de culto ao ódio, deparar-se com uma frase dessas é animador. Mas... é necessário parar de pichar e rasgar as poltronas e sujar os ônibus! Temos que cuidar bem do que utilizamos. Que tal as empresas de ônibus fazerem um concurso de frases? Cartas para a redação.

O nosso Paludo

Os restaurantes do grupo também estão com novidades para a data. No Paludo Gourmet, por exemplo, terá o prato Amor Siciliano (a partir de R$ 89,90) — salmão ao creme siciliano e quenelle de baroa.

NOi cria massas com o malte de cerveja

Com DNA cervejeiro, o restaurante Noi acaba de incluir no cardápio uma linha de massas artesanais feitas com o bagaço de malte da Noi Rossa, cerveja do estilo Irish Red Ale. Essa fusão inusitada e saborosa rendeu quatro pratos: spaghetti ao molho de tomate aioli, ravióli de brie com damasco ao molho branco, raviolone de caprese ao pomodoro di basílico e tortellini de calabresa com bacon e presunto ao molho de tomate aioli.

Para chegar à receita ideal, o chef Fernando Almeida, que comanda a cozinha do Noi Leblon e é idealizador dos pratos, conta que levou mais de seis meses em testes.

— Desde 2015, nós temos os pastéis com massa de malte, que sempre saíram muito. O público gosta desse tipo de novidade e, como também temos diversos estilos de cervejas, faz muito sentido. A massa leva 30% de bagaço do malte, que dá leveza e textura — explica o chef.

Para Osmar Buzin, sócio-proprietário da Noi Gastronomia e da Cervejaria Noi, as massas de malte têm potencial para se tornarem um diferencial dos restaurantes.

— Desde 2008, quando abrimos a primeira casa em Niterói, nós nos identificamos como um restaurante de cervejas artesanais. Em 2011, inauguramos nossa fábrica de cerveja, que cresceu e ganhou rumo próprio. Agora, conseguimos unir gastronomia e cervejaria em um mesmo produto, que é gostoso, saudável e sustentável, já que reaproveitamos o bagaço do malte que seria descartado. Dizem que o malte é a alma da cerveja, então posso dizer que com a massa de malte nós servimos pratos 100% cervejeiros — comemora.

Mais Colunistas

Todas as notícias sobre "Colunistas"

Receba por e-mail


Cadastre-se!

Livrômetro

Relógio da leitura no Brasil

492.480.000

Livros lidos em 228 dias de 2018 no país

Publicidade