Blog do Galeno Observatório do Livro e da Leitura

16 de outubro de 2018

"Geladeira Literária" leva cultura para todos, diz escritora

Hakeito Almeida douradosagora.com.br 08/03/2018

A escritora Odila Lange está implementando em Dourados o projeto "Geladeira Literária". O objetivo é transformar as prateleiras do eletrodoméstico em uma estante repleta de livros de diferentes gêneros, disponibilizados gratuitamente à população para disseminar o hábito da leitura, do lazer e a promoção da cultura.

As geladeiras sem uso vão ser instaladas em espaços públicos, como parques, hospitais e postos de saúde. "Além de retirar exemplares da geladeira, moradores e escritores também poderão deixar obras literárias que têm em casa, para compor o acervo", diz Odila.



A escritora enfatiza que o "Geladeira Literária" é uma oportunidade para aquelas pessoas que não têm mais lugar para guardar os livros, que ficam espalhados, propiciando a rotatividade das obras. "A iniciativa abre portas para leitores poderem compartilhar o gosto e conhecimento, doando este bem tão amado para que ele venha a beneficiar outras pessoas. O acesso ao livro e à leitura deve ser visto como um direito das pessoas e não como uma atividade inacessível ou disponível para apenas alguns poucos privilegiados", conclui.

Segundo ela, todos os exemplares doados e recolhidos receberão um carimbo personalizado do programa. "Não que isto vá coibir o furto ou extravio mas, com certeza, conscientizará os leitores de que este livro não é de sua propriedade e, como tal, deve ser recolocado de volta ao lugar de origem e que não pode ser dado nem vendido. Por isto, o slogan é Leia, Devolva e Troque", esclarece.

No final do ano passado, em visita à cidade natal, Venâncio Aires (RS), Odila ficou encantada com a receptividade do projeto que funciona como uma espécie de mini biblioteca, levando cultura e a circulação do conhecimento.

"Estou recebendo doações de livros, geladeiras velhas, gráficas e prestadoras de serviços que desejam contribuir confeccionando etiquetas dos vários títulos que estarão disponíveis. Até agora, já ganhei seis geladeiras e dois freezers horizontais.Mas preciso também de alguém que colabore com o transporte para ir buscar estes eletrodomésticos", observa a escritora.

Odila conta que já encaminhou ofícios para as Secretarias de Serviços Urbanos e Cultura e está aguardando respostas para a implementação do "Geladeira Literária" em Dourados. "Este projeto não trará nenhum custo para a administração pública a não ser a responsabilidade e a boa vontade de conscientizar os administradores destes espaços a zelar pelo bem, lá colocado, evitando depredação e furtos. Num país onde as pessoas, não possuem o hábito da leitura, seja por falta de incentivo, de oportunidades ou mesmo de condições financeiras, faz-se necessário implementar políticas ou ações que propiciem o acesso gratuito da população ao livro", justifica ressaltando o aspecto itinerante de alimentar a leitura e respirar literatura."Numa segunda etapa, dependendo da aceitação do público, o projeto poderá ser estendido ao setor privado como supermercados, lojas, hospitais particulares, fábricas, usinas, postos de gasolina e similares".

Mais Boas ideias

Todas as notícias sobre "Boas ideias"

Receba por e-mail


Cadastre-se!

Livrômetro

Relógio da leitura no Brasil

622.080.000

Livros lidos em 288 dias de 2018 no país

Publicidade