Blog do Galeno Observatório do Livro e da Leitura

27 de abril de 2017

Editor e ex-livreiro é o novo assessor do Gabinete do Livro e Leitura de SP

Leonardo Neto - Publishnews - 14/03/2017

O editor e ex-livreiro Alonso Alvarez acaba de assumir o cargo de assessor do Gabinete para o Livro e Leitura da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo. Ele dividirá com João Batista de Assis Neto, coordenador do Sistema Municipal de Bibliotecas (SMB), as ações relacionadas aos livros, à leitura e às bibliotecas na capital paulista. Sob o comando de Alonso e de João Batista estão as 54 bibliotecas da capital que reúnem um acervo de 2,5 milhões de exemplares. “Queremos levar esse imenso catálogo diversificado e de qualidade às pessoas que gostam de ler e não têm recursos para comprar livros, ou pelo menos para comprar todos que gostariam de ler. E, claro, seduzir novos leitores”, comentou.
Alonso foi idealizador do projeto Passeio Literário ao Redor do Bairro, que foi destaque no PublishNews em outubro passado. Ele conta que foi graças ao projeto que chegou à Secretaria de Cultura. "Em 2016, inventei o Passeio Literário ao Redor do Bairro. Procurei as bibliotecas no entorno do meu bairro e ofereci um encontro com leitores dali. Doei livros que ainda não estavam nas prateleiras; ganhei de uma gráfica a impressão de um folder, que divulguei nos lugares por perto: escolas, bancas de jornal, farmácias, papelarias, bares, oficina, etc. Esse folder chegou às mãos do novo secretário e ele me chamou para uma conversa. Levei também outras ideias e imediatamente ele me convidou para integrar a sua equipe”, relembra.
Alonso acredita que as bibliotecas podem ajudar a indústria do livro nesses momentos de crise. “Vivemos uma crise no mundo das livrarias. Muitas pequenas e independentes estão fechando, redes querendo sair do Brasil, outra buscando se fundir para sobreviver. Para enfrentar a crise no mercado editorial, o papel da biblioteca, em defesa do livro, na ampliação do público leitor e no estímulo do hábito da leitura, torna-se mais importante e imprescindível”, defendeu.
Nos anos 1990, Alonso criou a livraria artepaubrasil, da qual se orgulha de ter sido a primeira livraria noturna do Brasil. A livraria abria no pôr-do-sol e só fechava por volta das 5 da manhã. Foi casa de grandes nomes da literatura da época como Paulo Leminski, Manoel de Barros e Augusto de Campos. Depois dessa experiência, ele se fez autor de livros infantojuvenil, entre os quais destacam-se: O encanto da lua nova, selecionado pela FNLIJ para integrar o catálogo da Feira do Livro de Bolonha de 2006; As horas claras, ganhador do prêmio ProAC 2011, e Era uma vez duas linhas, finalistas do Jabuti em 2013. Todos esses livros foram editados pela Ficções, casa da qual Alonso é sócio.

Mais Clipping do livro e leitura

Todas as notícias sobre "Clipping do livro e leitura"

Receba por e-mail


Cadastre-se!

Livrômetro

Relógio da leitura no Brasil

250.560.000

Livros lidos em 116 dias de 2017 no país